Florianópolis - Os defensores públicos federais André Dias Pereira e Wilza Carla Folchini Barreiros estiveram nesta terça-feira (5) no Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop) de Florianópolis. Eles foram recepcionados pela coordenadora da unidade, Adriana Frigotto. O objetivo da visita foi verificar a estrutura disponível para receber o projeto de atendimento quinzenal das Defensorias Públicas da União e do Estado de Santa Catarina, voltado aos usuários do Centro Pop.

Pereira e Barreiros integram o Grupo de Trabalho destinado à defesa dos direitos das pessoas em situação de rua no âmbito da Subseção Judiciária Federal de Florianópolis (GT Rua), instituído na DPU em setembro deste ano. Eles conversaram com a coordenadora do Centro Pop sobre os serviços oferecidos no local, como o trabalho de orientação dos educadores sociais e psicólogos, além das demais unidades para atendimento a esse público, como casas de apoio e de passagem e postos de saúde. O fortalecimento do Comitê Intersetorial de Acompanhamento e Monitoramento da Política Nacional para a População em Situação de Rua também foi tema da conversa.

O Centro Pop funciona das 8h às 19h, sob as arquibancadas da Passarela do Samba “Nego Quirido”, no Centro da capital catarinense. Cerca de 160 pessoas utilizam seus serviços todos os dias. No almoço, são oferecidas 110 refeições. Há ainda lavanderia, banheiros e salas de atendimento psicossocial e de atividades em grupo.

Audiência pública

A primeira atividade do GT Rua Florianópolis foi a realização da audiência pública "População em Situação de Rua: Direitos e Violações”, na Assembleia Legislativa, em 16 de outubro. Entre os principais problemas levantados no evento estão a ausência de um restaurante popular e de um Centro de Atendimento Psicossocial 24 horas (Caps III), a restrição de atendimento a apenas um posto de saúde na cidade e a falta de políticas públicas de moradia, emprego e renda para pessoas em situação de rua.

As Defensorias Públicas da União e do Estado de Santa Catarina atuam agora em busca de soluções para os encaminhamentos do evento. Uma nova audiência pública deve ocorrer no segundo semestre de 2018, a fim de avaliar os avanços obtidos nessas demandas.

Compõem o GT Rua Florianópolis os defensores públicos federais André Dias Pereira, na função de coordenador; Wilza Carla Folchini Barreiros, como subcoordenadora; Mariana Döering Zamprogna e Victor Hugo Brasil.

RRD
Assessoria de Comunicação Social
Defensoria Pública da União