medico revalidaRio de Janeiro - A Defensoria Pública da União (DPU) enviou recomendação, nesta terça-feira (10/07), à direção do Hospital Federal de Bonsucesso (HFB) para que sejam tomadas as providências necessárias à manutenção em estoque do medicamento Thymoglobulina, imunossupressor usado no tratamento de rejeição aguda em transplante renal. O HFB deverá apresentar à DPU um relatório com ações e medidas adotadas no prazo máximo de cinco dias, a contar do recebimento do documento.

Segundo informações obtidas pela DPU junto à direção da unidade hospitalar, o HFB, diante do nível crítico do estoque, vem solicitando o medicamento por empréstimo de outros hospitais da Rede Federal, com o objetivo de evitar a interrupção dos transplantes renais. Na opinião do defensor regional de Direitos Humanos Daniel Macedo, “é inadmissível que a principal unidade em transplante renal do estado do Rio de Janeiro, que responde por 80% dos transplantes renais, não tenha um planejamento de estoque”. De acordo com o defensor, o HFB “recebe do Governo Federal R$ 140 milhões para prestar o serviço de saúde. A suspensão dos transplantes certamente sobrecarregará as outras unidades e pode determinar o aumento do tempo de espera pelos pacientes”.

A Defensoria Pública da União também enviou ofício ao Programa Estadual de Transplantes, indagando se houve comunicação de suspensão dos transplantes por parte do Hospital Federal de Bonsucesso e o número de pacientes que aguardam na fila de espera por um transplante.

GM/MRA
Assessoria de Comunicação Social
Defensoria Pública da União