slide remediosNiterói - Após atuação da Defensoria Pública da União (DPU), uma menina de sete anos moradora de São Gonçalo (RJ) conseguiu receber, na quarta-feira (3), remédios que estavam retidos em agência dos Correios da cidade desde o dia 29 de dezembro. A família da criança procurou o plantão da DPU em Niterói, que conseguiu na Justiça determinação para a pronta entrega dos medicamentos.

Apesar da urgência destinada ao caso, a decisão judicial só pôde ser efetivada três dias após o despacho do juiz plantonista da 3ª Vara Federal de Niterói, pois a agência dos Correios esteve fechada de 31 de dezembro a 2 de janeiro.

L.O.E.S. faz uso diário da medicação Micofenolato Sódico 360mg no tratamento decorrente de uma cirurgia de transplante de fígado à qual foi submetida quando tinha apenas oito meses de vida. O procedimento foi realizado em São Paulo e o acompanhamento, assim como a distribuição da medicação, são feitos na capital paulista.

A mãe da menina, T.O.E.M., conta que como só é possível obter medicação suficiente para 10 dias e ela não tem condições de fazer tantas viagens, uma amiga da família faz a retirada e envia para São Gonçalo por meio do serviço de entrega expressa dos Correios, o Sedex.

Ela ainda afirma que esta é a segunda vez que atrasos na entrega comprometem o tratamento da filha. “Há duas semanas um atraso na entrega fez com que minha filha ficasse um dia sem os remédios”, protesta a mãe.

Ouvintes se sensibilizam e menina recebe doação

No dia 2 de janeiro, após a primeira tentativa, sem sucesso, de cumprimento da ordem judicial, a rádio BandNews FM Rio divulgou a saga da família de L.O.E.S., que já estava há quatro dias sem fazer uso da medicação. Um ouvinte de São Gonçalo que estava prestes a doar o mesmo medicamento a um hospital entrou em contato com a rádio e a menina recebeu três caixas do remédio.

Confira a reportagem da rádio

MFB/MGM
Assessoria de Comunicação Social
Defensoria Pública da União