Fortaleza – O Governo do Estado do Ceará realizou, na quinta-feira (10), reunião com representantes dos poderes Legislativo e Judiciário e de diversas entidades para apresentar as medidas de segurança que o Estado e instituições parceiras têm tomado para coibir o crime organizado. O defensor-chefe da Defensoria Pública da União no Ceará (DPU/CE), Filippe Augusto Nascimento, participou do encontro.

Na ocasião, o governador Camilo Santana informou que já foram realizadas 287 prisões nos últimos dias, reforçou a importância do apoio de diferentes setores e garantiu que o Estado não vai recuar no combate ao crime. “Realizamos forte investimento na área de segurança e no sistema penitenciário. Aumentamos em 50% o número de policiais e estamos dobrando o número de agentes, além de criarmos uma secretaria própria para cuidar do sistema. Estamos tirando regalias dos presídios, e isso causou toda uma reação do crime organizado do lado de fora”, afirmou.

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, defendeu a necessidade de manter os serviços públicos para não prejudicar a população. "Querem criar um cenário de pânico, de medo, para gerar pressão para frearmos esse enfrentamento. Nosso papel é manter, dentro das nossas possibilidades, o serviço público funcionando", ratificou.

O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Gladyson Pontes, pontuou sugestões para aprimorar o sistema penitenciário, que deve estar em sintonia com todos os órgãos. “Implantamos um sistema de videoconferência, facilitando a realização de audiências a distância e agilizando o processo de transferência de presos. Há deficiências dentro dos presídios; precisamos construir mais salas para audiências dentro deles”, indicou.

Já o defensor público-chefe da DPU/CE, Filippe Augusto, sugeriu um maior envolvimento em nível federal, com olhar cuidadoso para o Ceará. "Essa é uma situação que transcende as ações normais. Já vi casos semelhantes em outros estados. Talvez fosse o caso de acionar a bancada federal, pois às vezes é preciso alterar a legislação para agilizar as ações", avaliou.

Além da vice-governadora Izolda Cela e de integrantes do secretariado estadual, participaram do encontro representantes do Tribunal de Justiça (TJ), Justiça Federal (JFCE), Assembleia Legislativa (AL), Ministério Público do Estado (MPCE), Ministério Público Federal (MPF), Prefeitura de Fortaleza (PMF), Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor), Tribunal de Contas do Estado (TCE), Tribunal Regional do Trabalho – 7ª Região (TRT7), Defensoria, Advocacia Geral da União, agentes de segurança estadual e federal (PF e PRF), entidades como Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Sindiônibus, Aprece e CUT, além das universidades estadual e federal.

*Com informações da assessoria de imprensa do Governo do Estado do Ceará

DFP/ESP/KNM
Assessoria de Comunicação Social
Defensoria Pública da União